Sua empresa está preparada para o Bloco K?

O Bloco K já está em vigor para as indústrias que possuem um faturamento acima de R$ 78 milhões ao ano. Entretanto, para as companhias que recebem menos do que isso – além dos comerciantes atacadistas -, essa obrigatoriedade ainda esta por vir: 1º de janeiro de 2019.

Pode até parecer que ainda está distante, mas a verdade é que a corrida contra o relógio já começou! Afinal de contas, o Bloco K exige uma série de adaptações, e as empresas que não estiverem adequadas e não apresentarem um controle correto poderão sentir no bolso.

Isso porque, em caso de omissão de informações ou entrega com dados incompletos, a multa aplicada é igual a 1% do valor do estoque.

Para tirar as principais dúvidas que você possa ter sobre essa nova obrigação, e deixar sua empresa preparada para quando isso for exigido, veja aqui um resumo sobre os principais tópicos do Bloco K:

O que é o Bloco K?
Trata-se de uma ferramenta de controle de estoque que integra a EFD. Nele estão contidas informações sobre movimentação de estoques e de produção de indústrias e atacadistas.

Logo, ele funciona como um livro registro para controle de produção e de estoque em versão digital.

Para que serve o Bloco K?
O principal objetivo por trás do Bloco K é aumentar o poder de fiscalização da Receita Federal, especialmente no combate à sonegação de impostos.

Isso porque o governo terá registrado, com o sistema das quantidades produzidas, material adquirido em cada operação de produto acabado, a projeção de estoque de matéria-prima e de produto acabado, além de informações de industrialização feita por terceiros.

A grande preocupação é que, dessa forma, até mesmo as empresas idôneas e que não tentam se beneficiar de maneiras ilegais poderão ser penalizadas, caso não apresentem um controle correto.

O “lado bom” do Bloco K
Para quem está obrigado a enviar suas informações através do Bloco K pode até parecer que o sistema significa apenas mais uma pedra no sapato. Mas não é bem assim!

Essa obrigação representa uma oportunidade ideal para que as empresas melhorem suas operações, tenham um maior controle sobre entrada e saída de produtos e, assim, minimizem erros sobre a operação.

O que fazer para estar seguro?
Assim como qualquer assunto que envolve o envio de informações ao governo, o mais indicado é buscar ajuda especializada.

Com o apoio de escritórios de contabilidade, a companhia tem a segurança de que não apenas os prazos de envios estão sendo cumpridos, mas também que o conteúdo encaminhado está correto. Assim, o risco de autuações e penalidades é menor.

Leia também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *