Modelos de contratação

Com o crescimento da sua empresa é normal que você sinta a necessidade de contratar mais funcionários para funções diversas. Mas, antes de iniciar qualquer processo, é importante fazer algumas questões para si mesmo. Por quanto tempo você precisará desse funcionário? É essencial que ele seja um empregado fixo, ou há possibilidade de ser um temporário? Criar um vínculo empregatício com tal funcionário será benéfico para a sua empresa ou a melhor solução seria terceirizar esse serviço?

Com as respostas para essas perguntas em mente, confira os diferentes tipos de contratação:

 

1 – CLT

O funcionário trabalha no formato tradicional, com vínculo empregatício junto à empresa. Seu trabalho é assegurado pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) e, por isso, ele tem direito a alguns benefícios, como férias remuneradas, 13º salário, FGTS, INSS e vale-transporte.

Na contratação com carteira assinada, o empregador deve pagar todos os impostos incidentes sobre a folha de pagamento. Eles variam entre 40% e 70% sobre o salário do colaborador.

 

2 – Pessoa Jurídica (PJ)

Muito comum entre as micro e pequenas empresas por conta da redução de encargos a ser pagos. Como se trata apenas de uma prestação de serviço, a empresa não tem a obrigação de pagar todos os benefícios assegurados pela CLT.  Isso pode ser muito vantajoso.

Em contrapartida, tenha consciência de que o profissional não estará à disposição da empresa todos os dias em horário comercial, pois o mesmo tem autonomia para exercer suas funções sem horário fixo de trabalho, desde que entregue a demanda no prazo acordado.  Afinal, além de trabalhar para você, esse profissional tem total liberdade para prestar serviços em outros lugares ao mesmo tempo.

 

Atenção: só é permitido optar por essa alternativa se não houver nada que caracterize o vínculo empregatício entre a empresa e o prestador de serviço. Isso significa que não pode haver subordinação, pessoalidade e habitualidade na relação de trabalho. Caso isso aconteça, você pode ser multado, tendo que arcar ainda com todas as obrigações e os encargos trabalhistas, previstos no regime CLT.

 

3 –  Estágio

Nessa modalidade, os encargos são menores e a contratação é feita com base na Lei nº 11.788/2018, popularmente conhecida como Lei do Estágio. Podem ser contratados estudantes dos ensinos fundamental, médio e superior e das educações especial, profissional e de jovens e adultos.

O estagiário tem direito ao vale-transporte e, depois de 12 meses trabalhados, a 30 dias de férias remuneradas. Lembrando que ele deve cumprir uma carga horária de, no máximo, 6 horas diárias.

Esse modelo de contratação é ideal para os empregadores que querem treinar e qualificar seus estagiários para que se tornem bons profissionais e, futuramente, ocupem cargos de chefia.

 

4 – Contratação temporária

A contratação temporária é indicada em casos de extrema urgência. Geralmente, são negócios em que têm grande demanda de trabalho em datas comemorativas ou empresas que estão desenvolvendo atividades por tempo determinado.

Com esse tipo de contrato, você pode ter o custo reduzido com 13º salário, férias, INSS e FGTS.

 

5 – Terceirização dos serviços

Essa contratação é feita de empresa para empresa. Uma prestadora de serviço vai intermediar o processo e será responsável por contratar os profissionais solicitados pela companhia. Nessa modalidade, a empresa contratante fica livre das questões burocráticas referentes à folha de pagamento, pois o vínculo empregatício com o funcionário fica a cargo da prestadora de serviços.

Leia também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *